img01.jpg

Gonçal Mayos, filósofo e professor no Departamento de História da Filosofia, Estética e Filosofia da Cultura da Universidade de Barcelona (UB), vai ministrar duas conferências na Faculdade de Direito e Ciências do Estado da Universidade Federal de Minas Gerais, que fica na Av. João Pinheiro, n. 100, no centro de Belo Horizonte, nos dias 11 e 12 de abril.

Responsável por cunhar o termo macrofilosofia, ele é especialista em Nietzsche, Hegel, Herder, Kant, Descartes e D’Alembert. No dia 11, a partir das 14h, na sala da Congregação (2º andar do prédio da pós-graduação) Mayos vai proferir palestra na Aula Magna do curso de Ciências do Estado e abordar a ascensão e queda da União de Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Em 2017 se completam os 100 anos da Revolução Bolchevique que dá origem à URSS e cem anos após a derrubada da monarquia absolutista dos czares russos, substituída pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), ainda há leituras e divergências entre os estudiosos da Revolução Russa de 1917, como explica o filósofo: "Em reflexão a esse centenário, pretendo analisar o conflito que define todo um século evitando cair no maniqueísmo ideológico. Quero mostrar diferenças significativas entre os profundos processos de modernização exemplificados pela URSS e os EUA sob uma perspectiva macrofilosófica", antecipa Mayos.

Na quarta-feira, 12, às 18h, no Salão Nobre (4º andar do prédio da pós-graduação), ele fará uma palestra no programa de pós-graduação intitulada 'Macrofilosofia da construção social dos Direitos Humanos'. A questão dos Direitos Humanos é um assunto discutido universalmente na atualidade, porém que tem sido convertido a um tópico discutido acriticamente, pois estamos enfrentando muitos conflitos para conquistá-los", comenta.

Na conferência ele explica que vai discorrer sobre alguns marcos macrofilosóficos sociais e históricos, apontando três grandes acontecimentos que marcaram decisivamente sua formulação. "Em 1689 com a luta de uma cidadania vinculada ao parlamento e os seus representantes contra o absolutismo monárquico; em 1776 com a luta pela independência de uma cidadanía que reclama sua soberania diante de uma potência colonial e estrangeira e em 1789 quando os "direitos do cidadão" [mas não o direito pela cidadania das mulheres] se convertem em direitos humanos, promulgando uma dignidade humana universal".

As atividades são abertas ao público, com necessidade de inscrição prévia preenchendo o formulário disponível em https://goo.gl/TOcNh8

Programação:

Data: 11/04 - terça-feira
Aula magna do curso de Ciências do Estado: Análise macrofilosófica da ascensão e queda da URSS

Horário: 14h
Local:
Sala da Congregação (2º andar do prédio da pós-graduação) - na Faculdade de Direito e Ciências do Estado - UFMG, Avenida João Pinheiro, nº 100, centro, Belo Horizonte

Data: 12/04 - quarta-feira
Palestra no programa de pós-graduação em Direito: Macrofilosofia da construção social dos Direitos Humanos
Horário:
18h
Local:
Salão Nobre (4º andar do prédio da pós-graduação)


Goncal Mayos_arquivos